AVENTURA NA SERRA DO CIPÓ

CAMINHADA “HIKKING”

Descrição da Modalidade: Com  adeptos  em todo o mundo, a caminhada tem como objetivo principal, a contemplação de ambientes  naturais,  e  acima  de  tudo  é  uma  prática  que  só faz bem ao organismo. A prática da caminhada é definida de forma simples  e  direta:  “Uma  atividade  de turismo de aventura que tem como elemento principal  a caminhada.”

 

Para  uma  caminhada  segura  e  confortável  é  importante estar com um calçado apropriado para esse fim e se vestir confortavelmente, nunca caminhar  sozinho  quando  o percurso for longo, sempre avisar alguém onde está indo e levar água e algum suprimento para comer durante a caminhada.

 

Onde Praticar na Serra do Cipó:  Há  vários  percursos  na Serra  do  Cipó  para  uma  boa caminhada, desde percursos curtos até caminhadas mais exigentes e complexas, e em quase todo tipo de terreno.

Dentro do ParNa da Serra do Cipó são várias trilhas,  das  mais simples as mais exigentes, a serem descobertas pelo visitante. A trilha dos escravos é um local  para  uma boa  caminhada,  com um grau de dificuldade acentuado pela sua inclinação. Ao  longo  da  MG 10  temos  alguns  trechos  onde a obra da ciclovia e passeio já foram finalizados, e  estes são aptos para prática da caminhada e temos os percursos em estrada de terra em torno do nosso distrito.

TREKKING

Descrição da Modalidade: O  trekking  consiste  em  caminhadas  por trilhas em busca de lugares interessantes para se conhecer, se superar, se divertir, mantendo  um contato  mais  próximo  com a natureza. Entende-se que o trekking, é a denominação dada quando  se  percorre  um  longo  trajeto, que exija pernoite no local o que torna a aventura mais emocionante e por isso ganha  muitos  adeptos  com  espirito  aventureiro.  Muitos  praticantes de trekking garantem atingir um  alto  grau de satisfação, pelo  fato  de alcançarem lugares  onde poucos conseguem chegar.

 

Onde Praticar na Serra do Cipó: Com  certeza  uma  dos  melhores roteiros de trekking na Serra do Cipó é a travessia Lapinha da Serra –Tabuleiro. Um  misto  de  aventura,  adrenalina  e  com  lugares mágicos  e  maravilhosos durante toda  a caminhada, o que faz valer cada passo que se dá nesse percurso. Abaixo a descrição dessa travessia. Mas com toda certeza a serra oferece outros percursos, com tamanha beleza quanto esse.

Travessia Lapinha x Tabuleiro

1º Dia – Lapinha da Serra – Casa de Dona Ana Benta – Aproximadamente 12 km

 

Iniciando  no  vilarejo  da  Lapinha  da  Serra, o primeiro objetivo da caminhada é o Pico da Lapinha (Falso Breu), bastando para isso seguir  a trilha que leva até a Cachoeira da Lapinha, de onde vem a água do vilarejo, por isso é proibido nadar nessa cachoeira (veja placa informativa no local). Cruzando  o  córrego  da Lapinha segue-se a esquerda em direção ao Pico da Lapinha, uma subida bem visível. Pode se parar em  um abrigo que se encontra após a subida que contorna o Pico. Depois de cruzar o  córrego  e  se  abastecer  de  água, a trilha segue bem marcada com tocos de eucalipto com  o  nome Pico  da  Lapinha  e  seta  indicativa até o cume. Caso esteja carregando muito peso, tente deixar esse na bifurcação, pois você terá que voltar a esse ponto para seguir para o Pico do Breu. Ai basta subir o resto da trilha até o cume e aproveitar uma das mais belas vistas que se possa imaginar. Depois de curtir esse visual, volte até a bifurcação e siga em direção ao Pico do Breu.  Após  cruzar campos rupestres a trilha seguirá por uma grande crista na montanha de onde é possível avistar o Pico do Breu  e o vale até a Serra do Intendente, onde se localiza a casa da Dona Ana Benta. Dona Ana Benta é uma senhora  idosa  que  vive em  um  pequeno  rancho onde é possível acampar, tomar um banho quente e comer uma comida feita em fogão a lenha.

Depois de chegar ao  cume do  Pico  do Breu, desçer  em  direção a prainha do rio Parauninha, que você irá avistar com certeza lá do alto, avistando  também  a  trilha  para  casa da Dona Ana Benta (por falar em Dona  Ana Benta não esqueça de levar dinheiro, pois não se aceita cartão nessa travessia). Ao chegar  a casa de Dona Ana Benta informe caso queira jantar, monte sua barraca, tome seu banho e descanse, pois o próximo dia será bem puxado também.

2º Dia – Casa de Dona Ana Benta – Casa de Dona Maria – Aproximadamente 8 km

          Casa de Dona Maria – A Parte Alta da Cachoeira do Tabuleiro - Casa de Dona Maria

 

Em  se  tratando  de  longas  caminhadas  o  descanso e essencial, por isso de dorme bem cedo e em contrapartida devemos acordar bem cedo. Logo após o café voltamos a trilha, iniciando com uma  rápida subida  e  depois  encontraremos  terrenos  mais  planos, cruzando  algumas  porteiras e cercas,  tomando cuidado  com  algumas  bifurcações, mas  sempre  seguir  pela trilha mais bem definida. A trilha antes da  casa de  Dona  Maria  segue  as  margens do Ribeirão do Campo e onde encontramos uma cachoeira de pequeno porte, mas muito boa  para  se refrescar.  Como  se  chega  cedo  a  casa  de  Dona Maria, marque seu lugar para acampar e encomende seu jantar e siga em frente para a parte alta da Cachoeira do  Tabuleiro, são  mais ou menos 1 hora e 30 minutos de caminhada até a cabeceira da cachoeira.

Dona Maria é uma senhora idosa que junto com seu marido Seu Zé iram  recebê-los muito bem,  mesmo sendo pessoas muito simples. Lugar pra se tomar um banho quente e jantar, encomende quando chegar  e não depois que voltar do Tabuleiro, pois pode ficar sem comida.

Retornando a casa de Dona Maria, tome um banho, jante e durma.

 

3º Dia - Casa da Dona Maria a Portaria do Parque – Aproximadamente 5,3 km

          Portaria do Parque ao Poço da Cachoeira  - Aproximadamente 1,5 km

 

Acorde  cedo  descole  um café e pé na trilha, pois a cachoeira do Tabuleiro está logo ali. São 5,3 km de percurso praticamente em descida até a portaria do Parque. A trilha e bem demarcada o tempo todo e não tem como errar. Quando  se  aproxima  do  Parque  encontramos alguns postes de energia,  preste atenção na bifurcação em forma de cotovelo, pois é essa que irá dá na portaria.

Chegando a portaria devemos  pagar a taxa e ai basta andar mais 1,5 km , iniciando por  uma  descida e seguindo pelo leito do rio até o poço. Uma caminhada que vale a pena. Mas olho no relógio, pois lá se entra as 8 horas e saí as 17 horas. Tente aproveitar ao máximo o poço da cachoeira, pois quem chega até aqui merece esse prêmio.

CAVALGADA

Descrição da Modalidade: A  cavalgada  é  uma  atividade  de   turismo   de   aventura,  onde  o  turista  tem  a oportunidade de conviver mais de perto com a natureza, apreciando lindas paisagens, ouvindo o canto dos pássaros e das aves, respirar ar puro e apreciar o que de melhor o local tem a oferecer. Tudo isso a seu alcance desde  que saiba  montar  um  cavalo, que  na  maioria das  vezes  são  mansos  e  de  fácil  condução. Podem participar dessa atividade pessoas de qualquer idade, sendo que os menores  de  18  anos precisam de autorização dos responsáveis ou estar acompanhado deste.

A cavalgada ecológica normalmente é realizada em trilhas, que  vão desde simples caminhos de terra até caminhos mais tortuosos e desafiadores, que são indicados aos mais aventureiros, pois apresentam alguns obstáculos  como trechos de mata fechada e travessia de cursos d’água.

 

Onde Praticar na Serra do Cipó: No ParNa da Serra do Cipó existe a possibilidade de conhecer o local a cavalo, em uma trilha sinalizada e exclusiva para esse fim, que liga a portaria Areias a Cachoeira da Farofa,  o que alia a pratica do esporte a uma aventura inesquecível pelas belezas do parque.  Há vários outros lugares que se pode  praticar a cavalgada, como uma ida  até  São  José da Serra (21 km), até Santana do Riacho pela estrada de terra (30 km).

Durante as festividades religiosas na região sempre  se tem  uma  cavalgada  como um dos eventos dessas festas, que são ótimas para conhecer um pouco da cultura local.

RAFTING

Descrição da Modalidade: O  rafting  é  mais  uma  atividade de turismo de aventura que privilegia a adrenalina sobre as águas. Ele consiste na descida por corredeiras utilizando botes infláveis. É uma modalidade voltada para pessoas de qualquer idade, o que faz o esporte cair no gosto da maioria dos aventureiros.

 

Onde Praticar na Serra do Cipó: No rio Cipó com instrutores experientes e certificados de forma a tornar o seu lazer um prazer e não uma catástrofe.

CANOAGEM

Descrição da Modalidade: A canoagem é um  esporte náutico  que pode  ser  praticado  com   canoas ou caiaque . A de “canoa” é  a  mais  popular e pode ser realizada com uma embarcação aberta ou fechada, e  o  atleta  podendo  navegar  sentado  ou  ajoelhado e  com  uma só pá. Na opção “caiaque”,  a  embarcação  é fechada e utiliza-se remo de duas pás e  o  atleta permanece  sentado no caiaque.  Os  locais  para  a  prática  desta   modalidade são  os  mais  diversos: rios, represas, lagos, mares e oceanos. Apesar do pouco investimento, o Brasil é um país privilegiado para a prática da canoagem, visto a diversidade natural que oferece, entre rios e lagos, além da costa brasileira. Uma tradicional região para a prática da canoagem é Santo Antônio de Pádua, no Rio de Janeiro. Outros lugares são a Serra Gaúcha, Florianópolis, Foz do Iguaçu, Brotas, Rio de Janeiro, Domingo Martins, Serra do Cipó, Chapada Diamantina, Jalapão e Santarém.

Onde Praticar na Serra do Cipó:  No rio Cipó, com instrutores experientes e certificados de forma a tornar o seu lazer um prazer e não uma catástrofe. Lapinha da Serra também é um ótimo lugar para a pratica desse esporte nas águas de sua represa.

RAPEL

Descrição da Modalidade: Em  linhas  gerais,  o  rapel  nada  mais é  do que uma técnica usada para efetuar uma descida em paredes ou vãos livres  com  o auxílio  de  uma  corda. Pode-se  dizer  também   que  é  uma  prática  que  consiste em utilizar técnicas  verticais  para   vencer  obstáculos  naturais  como penhascos e paredões.

 

Onde Praticar na Serra do Cipó: No morro da Pedreira tem

paredões para a  prática do rapel, mas  sempre  aconselhamos   praticalo com instrutores experientes e certificados. Lapinha da Serra na Cachoeira do Rapel é um ótimo lugar para a prática do rapel, mas se informe sobre instrutores experientes.

CANYONING

Descrição da Modalidade: O  canyoning  e  mais uma modalidade de turismo de aventura, que consiste em descer uma cachoeira suspenso por uma corda, enfrentando o peso e a temperatura da água além dos desníveis do relevo. A descida agrega técnicas de espeleologia e escalada.

 

Onde Praticar na Serra do Cipó: No ParNa da Serra do Cipó somente com autorização a cachoeira do Congonhas é ótima para  se praticar   canyoning. A cachoeira Véu da Noiva e outra cachoeira excelente para o canyoning. Ambos os lugares somente com autorização e instrutores especializados.

Fontes:

http://www.thecities.com.br

Cipoeiro Expedições

Horário de Funcionamento em Função da Pandemia - Covid-19:

 

RESERVAS: (31) 98644-4058 - 99652-0308

 

  Quinta - Sexta - Sábado - Domingo - Segunda

 Das 12:00 hs ás 20:00 hs 

 Aceitamos Cartões Somente de Débito 

 

Canoagem no Rio Cipó